Dextra

4 Iniciativas para os Negócios Digitais

Por: Bill Coutinho 24/03/2015

O mundo dos negócios digitais está se abrindo como um mundo de oportunidades, mas também de desafios e mudanças. Empresas de todos os segmentos estão se preparando de várias maneiras para prosperarem neste novo mundo. Nem mesmo segmentos há muito tempo estabelecidos estão imunes às mudanças que as tecnologias digitais trazem.

Algumas iniciativas podem acelerar a transformação digital:

1. Participar da vida dos clientes através de mobile apps

A penetração dos smartphones no mercado está crescendo vertiginosamente, quase todos com acesso à Internet e conta no Facebook, Instagram ou outras redes sociais. Quase ninguém mais vive sem Google search, Whatsapp, etc. O impacto disto para os negócios tem várias dimensões: clientes com mais informação em tempo real sobre produtos e preços, “boca-a-boca” em escala global, viralização, feedback instantâneo. Esta é a parte mais visível das tecnologias.

Ter um canal de comunicação direto com os clientes, 24×7, 365 dias por ano, é uma das maiores oportunidades que as tecnologias Mobile nos trazem. Com ela, nossos clientes nos carregam, literalmente, no bolso.

Mas, para que os clientes aceitem instalar nosso app, temos que dar algo de muito valor em troca. Caso contrário, o cliente pode simplesmente desinstalá-lo. Lembre-se, os concorrentes estão a “um click de distância”!

Resolver muito bem um problema do cliente com conteúdo atraente, conveniência, velocidade e simplicidade, tudo isto faz parte da experiência de usuário (UX). Isto exige imaginação, criatividade, experimentação e foco.

2. Estender o alcance do negócio através de APIs

APIs existem desde os primórios da computação. O que mudou agora é que, com tudo e todos conectados através de protocolos comuns, simples e bem definidos, elas ganharam a possibilidade de ser acessadas universalmente, de modo aberto, as APIs REST.

O que antes era uma ferramenta técnica e tática para a integração entre sistemas, se transformou em uma oportunidade estratégica, um canal para a ampliação do negócio, trazendo novas fontes de receita e possibilitando a inovação aberta.

Assim como o mobile estende o negócio em direção aos clientes, as APIs podem estendê-lo na direção de outras empresas que podem usar nossos serviços para explorar oportunidades que não estão diretamento ao nosso alcance.

Para serem exploradas de forma aberta, as APIs devem ser gerenciadas como produtos, com ciclo de vida definido, versionamento, estratégias de marketing, modelos de precificação e cobrança, etc. Afinal, outros negócios dependerão delas e uma relação profissional e de qualidade é fundamental.

Outro grande desafio é a renovação dos sistemas core, que proveem dados e funções para as APIs. Aspectos como segurança, sigilo, escalabilidade, flexibilidade, entre outros, deverão ser considerados nesta renovação. Uma tarefa nada fácil, mas que pode recompesar com um negócio mais dinâmico e inovador.

3. Aumentar a intimidade com os clientes com big data e Internet das Coisas

Outro aspecto muito falado é que as tecnologias digitais geram uma enorme quantidade de dados, muitas vezes maior do que a capacidade de absorção das estruturas tradicionais de BI ou até da capacidade do negócio de usar estes dados para alguma tomada de decisão.

A Internet da Coisas, wearables e sensores conectados estão ampliando ainda mais a quantidade de dados que podem ser usados para determinar o contexto dos negócios, dos produtos e dos clientes.

As tecnologias associadas ao termo big data, que rodam na nuvem em estruturas altamente escaláveis, estão abrindo uma nova fase na utilização de algoritmos de inteligência artificial, analytics e machine learning, na tomada de decisões.

Como estas tecnologias estão cada vez mais acessíveis, a maior restrição agora é visão e imaginação de como podemos usar dados para ampliar os negócios, através de produtos e serviços mais personalizados, antecipando as necessidades dos clientes, melhorando a experiência do usuário, aumentando a eficiência. As possibilidades são muitas, algumas delas ainda por ser descobertas.

4. Escalar o negócio com cloud

O outro lado da revolução digital, bem menos visível mas não menos importante, é o impacto que novas tecnologias têm na viabilização de soluções para problemas que antes eram muito complexos ou tinham custos proibitivos. Por exemplo, criar um aplicativo para atender milhões de usuários era oportunidade apenas para empresas com grandes estruturas de TI. Hoje, com as tecnologias de nuvem, isto está ao alcance de qualquer startup. Para se ter uma ideia do impacto disto, o aplicativo Whatsapp, por exemplo, chegou a atender a dezenas de milhões de usuários ativos com uma equipe de apenas 6 engenheiros. Nada mal para uma startup “pequena”.

A pergunta que devemos fazer já não é mais se devemos ir para a nuvem, mas sim o que podemos escalar imediatamente na nuvem.

Um dos principais aspectos da nuvem é possibilidade que ela nos dá de automatizar processos de TI, possibilitanto um aumento da produtividade dos profissionais da área de ordens de grandeza. Mas, para aproveitar estas oportunidades, é necessário uma nova dinâmica de organização de equipe usando Engenharia Ágil e DevOps, e trazendo desenvolvedores e administradores de infraestrutura para a mesma equipe, para juntos criarem processos automatizados de gestão de TI.

 

Concluindo

Aproveitar as oportunidades nesta nova fronteira exige da TI moderna uma nova maneira de pensar e agir, novas competências e habilidades, novas maneiras de acompanhar as iniciativas de sucesso e aprender com os fracassos.

No mundo digital, com vários caminhos para seguir, melhor guia é integrar todas estas iniciativas em uma clara visão de futuro e ter agilidade para se adaptar às mudanças e incertezas do mundo em transformação.

 

Entre em Contato

Mensagem enviada com sucesso!

Tags

Comentários