Dextra

O que não é Design Thinking

Por: Cibele Agugliari 10/12/2014

Semana passada estive em um evento em que os palestrantes descreviam suas experiências com Design Thinking, e algumas coisas me chamaram a atenção:

Os conceitos e idéias passadas confirmavam todas as experiências que já tive a oportunidade de estudar e exercitar aqui na Dextra, e, mesmo que exista muita literatura sobre o assunto, as experiências demonstradas ainda são tidas como inovadoras e experimentais. Apesar disso, um dos palestrantes me intrigou: ele falava que tinha usado apenas parte do processo de Design Thinking.     DesignThinkingParcial Na hora me passou na cabeça: isso não é Design Thinking. Depois, fui atrás das fontes oficiais e comecei a entender melhor o que é e o que não é Design Thinking e eu gostaria de reforçar aqui alguns pontos importantes:

  • Brainstorming não é sinônimo de Design Thinking. Para fazer um verdadeiro processo de Ideação, não é suficiente que você tenha uma equipe multidisciplinar e pessoas que conheçam o problema, é necessário que as pessoas envolvidas tenham uma verdadeira Empatia com quem vive o problema, é necessário que nesse processo tenham pessoas com vivências diferentes, e é imprescindível que o resultado seja algo paupável, que possa ser testado, que o sucesso e efetividade possam ser medidos.

Lean UX

  • Se você fez apenas um Brainstorming ainda não é Design Thinking. O processo de Design Thinking reforça a idéia de “Fail fast to succeed early”. Para isso é necessário que sejam elaborados alguns ciclos antes de você ter uma versão definitiva do produto, do sistema ou da solução do problema que você está trabalhando. Para isso as interações são muito valiosas, é implementando e testando as soluções que você conhece melhor o seu usuário, aprende a fazer as perguntas certas e chega no verdadeiro resultado do projeto.

  • É preciso testar a sua idéia com os usuários finais. Levar para a diretoria aprovar a solução não é um teste de verdade, no Design Thinking o objetivo não é acertar de primeira, mas validar premissas e refinar a solução antes que ela esteja pronta para uma apresentação para quem realmente vai comprar o seu produto. Claro que uma apresentação para os Stakeholders pode validar muitas coisas e até gerar oportunidades para novas iterações, mas não é como Design Thinking propõe que o trabalho seja conduzido.

Confesso que mesmo tendo recebido muita informação, saí do evento ávida por experimentar Design Thinking em diversos projetos e oportunidades.

Entre em Contato

Mensagem enviada com sucesso!

Tags

Comentários