Tecnologia

4 Desafios para Desenvolver Aplicativos para Smart TVs

Por: , dezembro 12, 2017

Já existem mais de 16 milhões de Smart TVs nas casas brasileiras, mas ainda há desafios a superar para aproveitar ao máximo o mercado de aplicativos para esses aparelhos


Apesar da entrada tardia no mundo das TVs conectadas (que tiveram seus primeiros modelos lançados há cerca de 10 anos), o Brasil hoje conta com mais de 16 milhões de Smart TVs instaladas nas casas brasileiras. A qualidade da banda larga e o preço dos dispositivos multimídia com acesso à internet foram algumas das razões que potencializaram o crescimento desse mercado.
Entretanto, isso não significa que os desafios para aproveitar essa tecnologia e levar conteúdos exclusivos para esses milhões de telespectadores acabam por aí. Como se trata de um mercado novo no país, as empresas e equipes técnicas que querem começar a desenvolver apps para Smart TVs precisam passar por uma série de aprendizados até criar uma solução adequada para esses equipamentos.
A Dextra já passou por essa experiência. Com expertise nas áreas de desenvolvimento web, mobile e gerenciamento de projetos, a desenvolvedora identificou os quatro principais desafios enfrentados por sua equipe ao criar um dos primeiros projetos de aplicativos para TVs conectadas no Brasil com a Globosat, uma de suas maiores parceiras. Confira quais foram eles:
1. Baixa performance dos equipamentos
Embora muitas das Smart TVs atuais já contem com tecnologia de ponta em seus recursos gráficos, memória e outros de seus componentes internos ainda não permitem uma boa performance para rodar aplicativos complexos.
Outro desafio iminente é que os televisores ainda contam com pouco espaço de armazenamento, fazendo com que usuários controlem constantemente a quantidade de arquivos e precisem desinstalar aplicativos antigos para dar espaço aos novos downloads.
Essa foi uma das questões discutidas na Dextra para a criação do aplicativo para a Globosat. A equipe técnica, dessa forma, teve o desafio de incluir todas as funções necessárias para levar conteúdos ao app sem perder qualidade e afetar a performance do aparelho dos telespectadores.
2. Variedade de Sistemas Operacionais
Firefox OS, Tizen, WebOS e Android TV. Esses são apenas alguns dos Sistemas Operacionais embutidos nas Smart TVs presentes no mercado. “Hoje o grande desafio é a diferença entre as plataformas. Os modelos de TV têm variação muito grande de sistemas operacionais”, afirma o diretor e co-fundador da Dextra, Bill Coutinho. E, apesar de a base principal para desenvolver soluções desse tipo ser a Web, levar um app ao maior número de modelos de televisores possível pode se tornar um desafio. Afinal, em muitos casos é preciso modificar ou adaptar versões do app de acordo com cada equipamento.
3. Usabilidade/Controle remoto limitado
Conforme Coutinho explica, outro ponto que precisa evoluir bastante nas TVs conectadas é a usabilidade. “Hoje temos apenas o controle remoto para interagir com as Smart TVs, e é muito complicado desenvolver um aplicativo com uma boa Experiência de Usuário levando isso em conta”, diz.
Diferentemente de como os smartphones funcionam, por exemplo, o usuário conta apenas com botões analógicos para navegar pela tela da televisão. Isso pode se tornar um problema caso o aplicativo apresente muitas opções ou exija muitos passos para ser configurado. Além disso, é preciso pensar em formas de atrair e engajar o usuário por meio desses aplicativos. “Temos que fazer interfaces que facilitem a navegação do usuário, e deixá-las com apelo visual bom e engajador”, explica Bill Coutinho.
4. Falta de referências para seguir no mercado
Os desafios listados acima são consequência de uma questão importante: como o mercado de TVs conectados está em expansão no Brasil, ainda não existem padrões técnicos e nem um caminho certo a seguir. “Tem poucas referências que conseguimos achar pelo mundo. As plataformas ainda são muito fragmentadas”, afirma Bill Coutinho.
A expectativa é que com o passar dos anos os sistemas e a performance desses televisores estejam cada vez mais padronizados – assim como aconteceu com a indústria de smartphones. Mas, por enquanto, as empresas que desejam investir nesse mercado devem criar e tirar proveito dos seus próprios métodos. “Essas coisas vão evoluir com o tempo. Mas muita coisa tivemos que aprender e criar da nossa maneira”, explica o diretor da Dextra.
Como a Dextra superou os desafios de criar um dos primeiros apps para Smart TVs no país
Ser uma das primeiras empresas brasileiras a desenvolver aplicativos para Smart TVs tem suas vantagens: a bagagem de aprendizado e experiência. Como se tratava de um dos primeiros projetos do gênero no Brasil, a Dextra utilizou toda a expertise em desenvolvimento web e gerenciamento de projetos que já tinha para produzir o aplicativo por meio da parceria com a Globosat.
Outro ponto importante foram as etapas de testes realizadas com aparelhos e usuários reais, para garantir que o aplicativo iria rodar com perfeição em modelos diferentes. E para isso, ter o contato direto com as fabricantes das marcas de Smart TVs que vendem no Brasil é algo imprescindível.
Um app para Smart TVs pode alavancar seu negócio?
Se você está em dúvida se a sua empresa deve ou não investir em aplicativos para Smart TVs e gostaria de avaliar os impactos dessa iniciativa no seu negócio, não deixe de conversar com um de nossos especialistas.
A equipe técnica de desenvolvedores e o time de diretores da Dextra podem te auxiliar e definir o melhor caminho para criar esse tipo de solução. Para marcar uma conversa, entre em contato conosco por meio do e-mail contato@dextra.com.br.

  • Receba nosso conteúdo em primeira mão.