Tecnologia

Da web viemos e para web voltaremos: Seria a vez dos Progressive Web Apps?

Por: , outubro 3, 2017

Apesar de não ser um tema muito novo , os Progressive Web Apps continuam sendo o assunto da vez nas rodas de discussão sobre o futuro do desenvolvimento de aplicações mobile.
Neste post vamos apresentar os principais conceitos para você que ainda não está familiarizado com o termo, e dizer por que esta metodologia continua obtendo tantos simpatizantes ao redor do mundo.

Afinal , o que é um Progressive Web App?
Em 2015, engenheiros do Google cunharam este termo para definir um aplicativo desenvolvido através de novas funcionalidades dos navegadores modernos¹, que permitem aos desenvolvedores criarem aplicações móveis utilizando somente velhos conhecidos da World Wide Web como HTML, CSS e JavaScript.
Em outras palavras, podemos dizer quem Progressive Web Apps (PWA’s) , são uma evolução das aplicações web, que permitem entregar ao usuário final uma boa experiência móvel, sem a necessidade de implementar código nativo para cada sistema operacional do aparelho do usuário.
Diferença entre Web Apps e Aplicativos Híbridos
Apesar da polêmica em volta dessa comparação, podemos considerar a principal diferença entre as duas abordagens, como o fato de que, um Web App não estará disponível na loja de aplicativos (pelo menos não no momento em que este post está sendo escrito, já que a rumores que o Google estuda uma forma de viabilizar isso para o futuro).
Um Progressive Web App, é executado direto no navegador do aparelho, acessando a URL de sua aplicação. Enquanto aplicações híbridas como as baseadas em Apache Cordova, mesmo sendo desenvolvidas utilizando HTML, CSS e JavaScript, ainda serão encapsuladas em um aplicativo nativo, e devem passar por todo procedimento de publicação dos aplicativos nativos.


Principais Tecnologias
Os principais argumentos para defender a utilização de aplicativos nativos, sempre foram a capacidade de utilizar os recursos do aparelho, mesmo que offline , bem como a possibilidade de fixar sua marca na HomeScreen do usuário, instalando o aplicativo através da loja do fabricante.
Mas hoje , já é possível implementar PWA’s que funcionam offline, que utilizam recursos do aparelho e que também mantenham um ícone de acesso na tela principal do aparelho destino.
Service Workers é o responsável por possibilitar uma experiência offline, além de viabilizar outros recursos como o recebimento de Push Notifications, por exemplo.
Já o ícone na tela principal pode ser adicionado utilizando um arquivo chamado de manifest.json.
E para se utilizar os recursos do aparelho, como câmera, acelerômetro e outras funcionalidades, é necessário somente utilizar uma implementação JavaScript que possibilite o acesso a estes recursos.
Suporte dos Navegadores
Ainda resta dúvida sobre a adoção desta tecnologia para todos os navegadores disponíveis no mercado. Hoje temos o Google Chrome como principal colaborador dos web apps, suportando todas a funcionalidades, e em seguida temos Mozilla Firefox e Opera com diversos recursos disponíveis.
As equipes do Microsoft Edge, e mais recentemente, do motor de renderização Webkit (Safari) já anunciaram que estão trabalhando no desenvolvimento do Service Workers em seus navegadores, o que viabiliza a implementação das principais funcionalidades de um PWA nestes browsers.
Mesmo sem todo suporte, a metodologia sugere que você desenvolva um aplicativo com garantia de execução nos mais diversos navegadores, muito inspirado pelo conceito de Progressive Enhancement.
Sendo assim, o usuário terá uma experiência mais ou menos rica, dependendo do navegador que utiliza, porém jamais ficará impossibilitado de resolver suas necessidades em razão disto.
Conclusão
A web se desenvolveu a ponto de termos uma ótima opção aos aplicativos de loja. Através dos Progressive Apps Webs conseguimos servir uma ótima experiência móvel, mesmo com um time sem expertise em aplicações nativas, e sem obrigar o usuário a baixar nosso aplicativo logo no primeiro contato com o mesmo.
Indícios mostram que as grandes empresas estão aderindo a metodologia, e tem tudo para obter mais adeptos com a chegada dos service workers nos navegadores Edge e Safari. Agora se esta metodologia irá substituir a implementação de aplicações nativas, somente o tempo dirá.

REFERÊNCIAS
1 – https://infrequently.org/2015/06/progressive-apps-escaping-tabs-without-losing-our-soul/

  • Receba nosso conteúdo em primeira mão.