Business

Impressões do SXSW

Por: , abril 12, 2018

Tive a oportunidade de participar do South by Southwest ou SXSW, um dos maiores eventos de “criatividade” do mundo, que acontece anualmente em Austin, Texas. Com mais de 300.000 participantes do mundo todo, é até difícil definir o que é o evento. A trilha “interactive”, que eu participei, tinha temas como programação, marketing, design, cidades inteligentes, saúde, ambiente de trabalho, realidade virtual, entre outros. Isso sem falar no festival de filmes, games e música, que acontecem em paralelo. Com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, um dos maiores desafios é escolher o que vc vai ver em cada horário – são mais de 25 apresentações acontecendo simultaneamente, e mesmo depois de um filtro inicial eu ficava geralmente com umas 4 ou 5 palestras que eu gostaria de ver, e da qual eu precisava escolher uma.
E a característica mais interessante deste evento é justamente sua diversidade. É possível sair de uma palestra de computação quântica, ir para uma mesa redonda de startups atuando no mercado aero-espacial, ver uma apresentação de realidade virtual e finalizar o dia num dos muitos barzinhos com música ao vivo.
Listei abaixo alguns dos principais temas que vi no evento.
Inteligência Artificial e Machine Learning
Certamente este foi um dos principais temas do evento. Além da visão de que cada vez mais teremos soluções de machine learning aparecendo em diversas áreas (principalmente em interfaces baseadas em voz e conversação), dois assuntos relacionados dominaram as conversas.
O primeiro é a questão de tendências e preconceitos que podem surgir nestes sistemas. Como o aprendizado é baseado em dados históricos, existe sempre o risco da máquina “aprender” os preconceitos existentes nos dados de treinamento. Isto já é um problema concreto, pois várias máquinas existentes hoje já apresentaram comportamentos preconceituosos (como o sistemas de recomendação de empregos que sugerem cargos de alto salário prioritariamente para homens). Um dos melhores antídotos para isto é buscar a diversidade nos grupos que desenvolvem estes sistemas.
O segundo é o desafio que temos na sociedade relacionado ao potencial de desemprego que estas tecnologias podem trazer. É um assunto bem controverso, mas existe o consenso da importância de capacitar pessoas que atuam em profissões que devem diminuir para que possam trabalhar em outras áreas.
Design
O design é um dos temas fortes do evento, e para mim trouxe conteúdos bem inspiradores. Uma das provocações que mais me chamou a atenção foi em relação à importância de trazermos uma visão de design no desenvolvimento de soluções de machine learning. Como por natureza estes sistemas sempre tem um percentual de falha, é fundamental uma visão de design que pense em como tratar esses erros e ambiguidades de uma forma que torne os sistemas úteis e agradáveis.
Blockchain e Bitcoin
Ainda existem pouquíssimas aplicações práticas de blockchain, mas esta área atrai cada vez mais interesse de diversas organizações. Vários “embriões” de aplicações estão surgindo, geralmente ligados a questões ligadas a identidade – um exemplo interessante de aplicação pode ser uma plataforma com o perfil dos médicos de uma dada localidade, contendo todas as especializações deles, de uma forma segura e descentralizada.
Computação Quântica
Provavelmente o assunto mais indecifrável discutido no evento. Se você acha difícil entender blockchain, é por que ainda não tentou entender a computação quântica.
Suas aplicações em problemas mais concretos ainda está alguns anos no futuro, mas tem havido uma explosão de pesquisas e descobertas nesta área, e o grande investimento se justifica pelo potencial disruptivo da tecnologia. Diversos problemas que atualmente são impossíveis de serem resolvidos podem se tornar simples com um computador quântico. As principais aplicações são em problemas matemáticos complexos, como análises de proteínas, engenharia de materiais e criptografia.
Mas a computação quântica não vai substituir a tradicional, pois ela não é mais eficiente em todos os casos. Aliás apenas em uma classe bastante restrita ela é efetiva, então os modelos de computação que se vislumbra é um sistema tradicional rodando a maior parte das aplicações e utilizando um computador quântico para algumas tarefas específicas.
VR/AR
As feiras que acontecem em paralelo ao SXSW traziam dezenas de aplicações de realidade virtual e realidade aumentada. A maior parte são jogos, mas já temos diversos exemplos para demonstração de produtos e até mesmo soluções de realidade aumentada para o varejo (imagine entrar num supermercado e o seu celular te ajudar a encontrar o produto que você busca usando realidade aumentada).
Futuro da tecnologia
Várias palestras trataram sobre as principais tendências da tecnologia para os próximos anos. Entre elas:

  • Fim dos smartphones – o desenvolvimento de interfaces de voz, de realidade aumentada/virtual e até de “conexões cerebrais” estão apontando que os smartphones como temos hoje devem se transformar radicalmente nos próximos anos, podendo chegar até a desaparecer. Uma das previsões apresentadas é que em 10 anos teremos o fim dos smartphones.
  • As interfaces de voz vão se tornar cada vez mais comum, e ser usadas em cada vez mais aplicações. Os assistentes domésticos (como o Alexa da Amazon e o Google Assistant) são só o início desta tendência, e vamos ver cada vez mais interações serem feitas através de voz. Uma das previsões é que até 2021 metade da população vai interagir com computadores através de voz.
  • Impressão 3D – a precisão desses equipamentos está aumentando cada vez mais, e com isso a diversidade de aplicações tende a crescer muito. A previsão aqui é que em 3 anos vamos ter uma precisão de impressão que vai permitir a impressão até de roupas.
  • Carros autônomos – mesmo com a desaceleração que pode vir de problemas como o recente acidente com o carro do Uber, a tecnologia para carros autônomos já é uma realidade em algumas localidades, e está mostrando que é factível e escalável. Entre os maiores desafios para ampliar sua implantação estão a obtenção de mapas detalhados das cidades e locais com clima desafiador (como cidades muito chuvosas e com neve). Uma das palestras do evento foi de uma parceria da Embraer com a Uber, onde eles pretendem iniciar os testes com veículos voadores em 2 anos.

O conteúdo era realmente muito extenso, e eu tentei aqui dar uma visão ampla dos diversos temas que vi por lá. Se você quiser conversar mais sobre alguma dessas áreas, me procure.
Diante da amplitude de inovações que já temos hoje, e do que temos pela frente, o maior sentimento que fica não pode ser outro – esta é uma época espetacular para estarmos vivos.

  • Receba nosso conteúdo em primeira mão.