Solvay renova interface e expande uso global de plataforma simuladora de formulações

Situação inicial

Redesenhar completamente um software legado interno e totalmente offline que tinha como base um algoritmo proprietário precioso, porém de interface pouco amigável, é um processo delicado. A necessidade de atender as demandas do mercado com agilidade levou o Grupo Solvay do Brasil a tomar a decisão de refazer toda a interface (front-end) do produto, renovando a experiência dos usuários.

A Dextra, empresa do Grupo Mutant, foi escolhida para realizar todo o processo, que passou primeiro por um Design Sprint e, depois, pela construção da nova versão da plataforma de simulações de formulações da Solvay, chamada SolsysⓇ.

Solução

Com o Design Sprint, a Solvay poderia incluir a reformulação do SolsysⓇ como parte de uma estratégia maior de negócios, com múltiplas iniciativas de TI. A proposta foi aceita, e os clientes da Solvay foram convidados a participar.

Resultados positivos

Desde o lançamento oficial, o número de acessos do SolsysⓇ em todos os mercados cresceu substancialmente, chegando a mais de 350 no Brasil desde o lançamento (e 250 no mundo). São cerca de 120 usuários registrados de 37 organizações ao redor do mundo.

Continue lendo para saber mais

Você vai demorar 6 minutos para ler o case completo

Cenário

Redesenhar completamente um software legado interno e totalmente offline que tinha como base um algoritmo proprietário precioso, porém de interface pouco amigável, é um processo delicado. A necessidade de atender as demandas do mercado com agilidade levou o Grupo Solvay do Brasil a tomar a decisão de refazer toda a interface (front-end) do produto, renovando a experiência dos usuários.

A Dextra, empresa do Grupo Mutant, foi escolhida para realizar todo o processo, que passou primeiro por um Design Sprint e, depois, pela construção da nova versão da plataforma de simulações de formulações da Solvay, chamada SolsysⓇ. A empresa especialista em produtos químicos é detentora da tecnologia embarcada no software, muito utilizada para otimizar formulações que levem solventes.

O algoritmo permite simular formulações como tintas, vernizes, adesivos, entre outros, considerando características como solubilidade, tempo de secagem, custo, entre outras. O SolsysⓇ. economiza os chamados testes de bancada, evitando idas ao laboratório, cálculos manuais e processos de tentativa e erro – que custam, claro, tempo, recursos e dinheiro. O sistema simula misturas em ambiente virtual, tornando o processo mais econômico e assertivo e reforçando a própria estratégia de negócios da empresa.

A interface da versão antiga do software apresentava uma complexidade que não permitia uma interação intuitiva para os usuários não treinados. Adicionalmente, os resultados das simulações eram exibidos em diversas páginas, tornando a interpretação mais complicada e demorada.

Isso levava os clientes a acessarem o software apenas indiretamente – era a Solvay que fazia o desenvolvimento a pedido dos clientes. Por não terem acesso direto, também faltava autonomia para que os clientes fizessem seus próprios testes e simulações.

Mudança de rumo

Detectada a necessidade de dar uma interface mais amigável para o SolsysⓇ, a Solvay procurou especialistas. A Dextra foi a única que se recusou a orçar o software logo de cara, sugerindo antes o Design Sprint. A metodologia baseada na experiência do usuário (UX) e em Design Thinking coloca os próprios usuários para “trabalharem”, colhendo feedbacks sobre como aquele produto ou solução poderia entregar mais valor.

Além disso, com o Design Sprint, a Solvay poderia incluir a reformulação do SolsysⓇ como parte de uma estratégia maior de negócios, com múltiplas iniciativas de TI. A proposta foi aceita, e os clientes da Solvay foram convidados a participar. Doze aceitaram e passaram cinco dias em setembro de 2018 por um processo de reformulação e ideação da interface do software. Como resultado surgiu um mapa de possíveis melhorias, um protótipo com menos telas, caixas de busca intuitivas, lista de formulações mais usadas, entre outras melhorias.

A versão em HTML antecedeu o investimento na produção do novo software, e com ela foi possível escolher os recursos que realmente funcionavam e seriam implementados de fato na nova versão do SolsysⓇ, resolvendo dores mais imediatas.

Colhidas as novas impressões, a Solvay fechou um contrato com a Dextra para o desenvolvimento da versão em nuvem do SolsysⓇ – cujos squads trabalharam em conjunto com os profissionais de TI da indústria química. Entre abril e agosto de 2019 foram realizadas entregas parciais. Em setembro foi lançada um MVP (produto viável mínimo), chamado pela empresa de “versão lite”.

“Disponibilizamos o acesso à plataforma para os 12 clientes que participaram da ideação, para que testassem e dessem seus feedbacks. E na primeira semana de outubro, um mês depois do pré-lançamento, fizemos o lançamento oficial durante o congresso da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas, a Abrafati, que acontece a cada dois anos”, conta Diana Martiniak Tosto, pesquisadora e assistente técnica de desenvolvimento da Solvay.

O resultado foi uma versão web, global, online, intuitiva, que facilita a usabilidade e o entendimento dos resultados obtidos. O lançamento incluiu uma palestra, o que chamou atenção dos participantes. Já totalmente disponível e aberto ao uso, o SolsysⓇ poderia ser testado por qualquer interessado mediante cadastro.

Resultados Positivos

Desde o lançamento oficial, o número de acessos do Solsys em todos os mercados cresceu substancialmente, chegando a mais de 350 no Brasil desde o lançamento (e 250 no mundo). São cerca de 120 usuários registrados de 37 organizações ao redor do mundo.

Segundo a equipe de desenvolvimento , 2020 tem sido importante para avaliar o número de acessos feitos por esses usuários e de que maneira a plataforma têm contribuído com a agilidade nos desenvolvimentos de seus clientes. “Desde então os clientes estão entrando em contato para entender melhor a nova versão e marcar treinamentos para suas equipes. O retorno tem sido bem positivo”, explica Diana.

Esses treinamentos já têm sido feitos ao redor do mundo – já foram realizados 20 com empresas no Brasil e 15 com empresas em outras regiões do mundo. Com a facilidade de uso da nova versão do SolsysⓇ, os clientes são capazes de fazer simulações de forma mais intuitiva e ágil, sem necessidade de consultarem a Solvay com frequência – o que acontecia muito com a versão antiga da plataforma.

“Além da redução do tempo dos treinamentos, para a Solvay é uma importante ferramenta para entender as novas tendências do mercado e as principais necessidades de cada aplicação ”, explica Diana. A empresa tem investido em aumentar o número de usuários fazendo divulgação em universidades, entre potenciais clientes e campanhas em plataformas digitais como o LinkedIn

Apesar de já contar com um mapa de evoluções desenhado para a plataforma – que inclui Big Data e Machine Learning, capazes de sugerir formulações de acordo com cada usuário e necessidades, a Solvay ainda não tem previsões de quando as implementará. Segundo Diana, o objetivo atual é ampliar o uso da plataforma SolsysⓇ antes de definir os próximos passos.

  • Muita gente fala em tecnologia no Brasil. Muita gente só fala.

    Aqui não. Marque uma conversa.