A Importância do Primeiro Seguidor e nosso papel nas novas ideias

Várias vezes durante nosso caminho profissional ou pessoal nos deparamos com a situação de novas ideias. Basicamente podemos ter...

Dextra

View posts by Dextra
Somos especialistas em desenvolvimento de software sob medida para negócios digitais. Pioneiros na adoção de metodologias de gestão ágil, combinamos processos de design, UX, novas tecnologias e visão de negócio, desenvolvendo soluções que criam oportunidades para nossos clientes. A Dextra faz parte da Mutant, empresa B2B líder no mercado brasileiro e especialista em Customer Experience para plataformas digitais.
Data de publicação: 09/09/2015
Novas ideias

Várias vezes durante nosso caminho profissional ou pessoal nos deparamos com a situação de novas ideias.

Basicamente podemos ter dois papéis nesse momento, ou estamos sugerindo uma nova ideia a ser implantada ou estamos ouvindo a ideia de alguém.

Vejam o vídeo a seguir: The Dancing Guy

Quando sugerimos novas idéias, seja a implantação de uma melhoria no processo, um processo novo, TDD ou apenas a troca do horário de uma daily meeting, pode ser também uma dança estranha, devemos expor nossa ideia, o que nos motivou a sugerir essa ideia e tentar convencer as outras pessoas do seu time de que aquela ideia pode ajudar de alguma maneira.

Nesse processo todo de exposição e convencimento, devemos prestar atenção em um personagem muito importante que muitas vezes ignoramos, o primeiro seguidor.

Essa pessoa é a primeira que compra a ideia, quando expomos uma ideia nova, não precisamos convencer todos de uma vez, isso é muito difícil, precisamos apenas convencer um, o nosso primeiro seguidor, que esse irá nos ajudar a espalhar a ideia entre as outras pessoas.

Para implantar uma nova ideia, primeiro precisamos ter coragem de levantar e ser ridículo. Expor novas idéias, na maioria das vezes, quebra antigos paradigmas e tira as pessoas um pouco do seu status quo, nem todo mundo gosta disso, mas se bem explicada, a nova ideia tendo fundamento, é tão simples e clara de se seguir que acaba atraindo o primeiro seguidor dela, e essa pessoa acaba mostrando para os outros como seguir a nova ideia, mostrando que é simples de fazer e que vale a pena.

Quando você expõe uma ideia nova, tem que entender que a ideia não é mais só sua, você acabou de compartilhar ela com todos os que acreditaram nela, inclusive o primeiro seguidor, e cabe a você como “líder” dessa nova ideia aceitar isso, deixar a vaidade de lado e abraçar a ideia de que isso se tornou um movimento de várias pessoas.

Esse primeiro seguidor é o que começa a transformar um maluco solitário em líder de um movimento de mudança. Não se trata mais apenas do maluco solitário, e sim de várias pessoas que acreditam na mesma coisa. O primeiro seguidor ajuda a atrair outras pessoas para a nova ideia. Se vocês perceberem, o primeiro seguidor também é um tipo de liderança, é preciso ter coragem para se levantar e seguir um maluco solitário.

Após algum tempo, não se trata apenas de um maluco solitário, nem de dois malucos, e sim de várias pessoas, e com várias pessoas temos um movimento em torno da nova ideia. Novas idéias precisam ser públicas, as pessoas precisam saber delas. É importante mostrar não apenas o líder, que originou a nova ideia, mas seus seguidores, pois os seguidores novos imitam os seguidores antigos da ideia e não necessariamente o líder original. Isso mostra uma evolução da ideia definida pelo grupo que a apoiou.

Quanto mais gente segue uma nova ideia, o risco dela diminui, afinal um monte de gente já está fazendo isso, portanto, mais pessoas querem seguir a nova ideia. Pessoas que estavam em dúvida em relação a nova ideia acabam seguindo com a multidão. Eles não querem ficar de fora da novidade. A curva de adoção de novas tecnologias tem o mesmo princípio (Tecnology Adoption Lifecycle). Depois dos primeiros seguidores, os próximos não se sentirão ridículos, estarão seguros.

Se você for o cara que teve a nova ideia, lembre-se de cultivar os primeiros seguidores da sua ideia, foque em achá-los e trate-os como iguais. É a ideia que interessa, não você.

Mas uma das maiores lições desse vídeo, se vocês perceberem, é que a liderança é muitas vezes superestimada. O cara dançando sem camisa foi o primeiro, e ele receberá todo o crédito por isso, mas foi o primeiro seguidor que transformou o maluco solitário em líder, ele que ajudou a convencer outras pessoas de que a ideia era viável de ser feita.

No mundo atual existe uma ideia de que todos devemos ser líderes, isso é muito valorizado nas empresas, até demais na minha opinião. Se todos fossemos líderes com novas idéias para serem implementadas, não daria muito certo, cada um olharia somente para sua própria ideia. Se duas pessoas tiverem a mesma ideia, ainda haverá uma “briga” sobre quem teve a ideia primeiro.

Acredito que temos que ter o discernimento para reconhecer boas idéias vindo de outros, independente do cargo ou tempo de experiência, e termos coragem de levantar e seguir um “maluco solitário” em sua ideia. Começar um movimento, uma mudança. Quando vocês encontrarem algum maluco fazendo algo grandioso, tenham essa coragem de se levantar e se juntar ao movimento.

Com isso entramos no segundo papel que falei, onde estamos ouvindo a ideia de alguém.

Quando estamos nesse segundo papel, temos que ter avaliar se o que o “maluco solitário” está fazendo é grandioso ou simplesmente idiota. Para isso agimos como críticos da nova ideia, assim como críticos de cinema analisando um filme ou críticos de gastronomia. Mas precisamos ter cuidado quando estamos nesse papel.

Alguém com coragem está nos expondo seu trabalho, sua ideia, correndo o risco de se passar por ridículo. No vídeo a seguir (Egon – Ratatouille), retirado do filme Ratatouille, temos uma ótima visão do que é ser crítico. Nos falando que mesmo a pior das idéias tem mais significado do que o nosso julgamento como críticos. Vejam o vídeo com atenção, e para quem já passou pela situação de criticar alguma nova ideia que um colega expôs, pensem como vocês agiram na situação.

No mundo real, podemos estar dos dois lados dessa moeda em diferentes situações. Podemos ser o maluco solitário procurando nossos primeiros seguidores ou podemos ser a pessoa que observa o maluco solitário expondo sua ideia para nós. Em ambos os casos é necessário coragem, ou para submeter nosso trabalho a avaliação de outros ou para julgarmos se um trabalho vale a pena. Apesar do segundo ter menos risco, somente nele temos a oportunidade de apostar em algo novo e mostrar nossa coragem sendo um dos primeiro seguidores da nova ideia, mostrando para outras pessoas como agir.

Pensem nisso da próxima vez que você tiver uma ideia ou ouvir uma de alguém.

A ideia do primeiro seguidor foi retirada da seguinte talk Derek Sivers: How to Start a Movement.

Dextra

View posts by Dextra
Somos especialistas em desenvolvimento de software sob medida para negócios digitais. Pioneiros na adoção de metodologias de gestão ágil, combinamos processos de design, UX, novas tecnologias e visão de negócio, desenvolvendo soluções que criam oportunidades para nossos clientes. A Dextra faz parte da Mutant, empresa B2B líder no mercado brasileiro e especialista em Customer Experience para plataformas digitais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 4 =

Posts relacionados

  1. Sobre a Dextra

    Somos especialistas em desenvolvimento de software sob medida para negócios digitais. Pioneiros na adoção de metodologias de gestão ágil, combinamos processos de design, UX, novas tecnologias e visão de negócio, desenvolvendo soluções que criam oportunidades para nossos clientes.

  2. Categorias

Scroll to top