Waterbit

Waterbit em parceria com a Dextra para rapidamente desenvolver uma plataforma IOT

A startup WaterBit foi criada com o objetivo de ajudar agricultores a preservarem um dos recursos mais precioso: a água. Com sua tecnologia de irrigação de precisão, produtores podem ao mesmo tempo aumentar a produtividade e reduzir os custos de produção da lavoura. A WaterBit trabalhou em parceria com Dextra para construir todo o software da camada de dados, o app e o site, conforme descrito no estudo de caso abaixo.

Manu Pillai, fundador da WaterBit, enxergou potencial para revolucionar não só a irrigação, mas também como os produtores podem alavancar sua produção coletando e utilizando dados altamente específicos e personalizados. A idéia consiste em uma arquitetura de IoT  de duas camadas. A primeira é a camada física, com sensores e processadores de sinais que são implantados no campo. Eles incorporam conhecimento aprofundado de física e engenharia, que os tornam efetivos para serem utilizados em larga escala. A segunda é a camada de processamento e análise de dados, que aporta inteligência para a solução. A abordagem parece convincente, com certeza, mas como ele poderia colocá-lo no mercado?

Problema

Manu enfrentou uma realidade comum à maioria das startups: prazos apertados, orçamento limitado, bem como a pressão dos investidores e exigências dos usuários finais. Percebendo que se dividir em mil não era uma opção, ele decidiu encontrar um parceiro de desenvolvimento que estava à altura desse desafio: criar uma nova plataforma IoT/Big Data escalável a partir do zero. Que fosse acessível, fácil de usar e que pudesse ser lançado rapidamente sem sacrificar a qualidade. Dextra foi a empresa que melhor se encaixou em todos os requisitos.

Solução

Enfrentar tal desafio exige compreender a proposta do cliente até sua essência. Neste caso, os dados. Sobre as especulações sobre IoT: sim, são realmente dados impulsionando o crescimento e a demanda neste segmento. Entender isso, permitiu que a Dextra e WaterBit se concentrassem em criar um cronograma detalhado com objetivos claros. Trabalhando de forma colaborativa e utilizando metodologias ágeis, a equipe de desenvolvimento da Dextra atua de maneira próxima e conjunta ao cliente.

Como mencionado acima, os dados dos sensores são coletados e enviados para transmissores de rádio de longo alcance, então para um gateway que faz o upload para a nuvem. Massivas quantidades de dados não estruturados são analisadas de acordo com os parâmetros de cada produtor. Estes dados são apresentados através de um painel, dashboard, que podem ser acessados pela web ou aplicativo móvel, atualizado em tempo real.

dashboard também atua como console principal do usuário para gerenciar informações do sistema, da fazenda e da colheita. Uma imagem de satélite 2D da fazenda de produtores fica no centro da tela, com métricas apresentadas em cada lado. Com apenas um toque, o usuário pode desenhar linhas na imagem 2D para demarcar o plantio por tipo, vinculando assim o tipo de corte no painel para o sensor de terra.

Desta forma, os dados retirados de cada área de tipo de cultivo podem ser comparados com os benchmarks de modelos de culturas, proporcionando aos produtores uma visão mais profunda das métricas de desempenho. Este recurso é transformador para os produtores, dando-lhes acesso a informações granulares e densas que de forma acessível em qualquer lugar e a qualquer momento.

Case Dextra Waterbit

Conclusão

A parceria entre a  WaterBit e a Dextra gerou resultados excepcionais porque ambos os lados trabalharam juntos em direção a um objetivo comum. De fato, esta implementação do IoT atraiu a atenção do Gartner, e fomos convidados a apresentar nosso estudo de caso em seu evento Expo de TI de 2016 em Orlando.

Todos na Dextra estão orgulhosos deste projeto, pois não é todos os dias temos a oportunidade de trabalhar com startups focados na sustentabilidade ambiental. A plataforma da WaterBit ainda está em evolução e estamos entusiasmados em continuar o nosso envolvimento com a sua solução.

Scroll to top