O que o Lean Startup pode fazer por sua empresa?

Você já ouviu falar no conceito de Lean Startup? Ao iniciar um novo negócio inovador que se encaixe no...

Dextra

View posts by Dextra
Somos especialistas em desenvolvimento de software sob medida para negócios digitais. Pioneiros na adoção de metodologias de gestão ágil, combinamos processos de design, UX, novas tecnologias e visão de negócio, desenvolvendo soluções que criam oportunidades para nossos clientes. A Dextra faz parte da Mutant, empresa B2B líder no mercado brasileiro e especialista em Customer Experience para plataformas digitais.
Data de publicação: 01/11/2013

Você já ouviu falar no conceito de Lean Startup? Ao iniciar um novo negócio inovador que se encaixe no modelo de Startup, um empreendedor pode ter uma série de dúvidas sobre como criar um planejamento eficaz.

Em geral, perde-se muito tempo planejando uma série de questões que envolvem o negócio e acaba-se deixando de trabalhar na ideia da empresa. É muito esforço na busca de investidores, estruturação da organização e outros pontos.

Contudo, é comum que essas empresas fracassem devido a uma série de fatores e todo esse esforço realizado pelo empreendedor seja desperdiçado, assim como o dinheiro e tempo investidos no projeto. O conceito de Lean Startup vem na contramão desse pensamento e é sobre isso que vamos falar hoje. Boa leitura!

O que é Lean Startup

Inovar, que é necessário para o crescimento e às vezes até para sobrevivência do negócio no mercado atual, requer, muitas vezes, mudanças profundas. Inovar não significa propriamente investir em P&D, mas sim, colocar na prática, de maneira ágil, novas ideias. E mudar pode parecer arriscado, mas o risco mesmo está em não inovar.

A necessidade de uma mudança pode ser percebida quando a empresa constata que seus produtos não estão mais atendendo às expectativas dos clientes ou diante das pressões da concorrência, que estão se tornando cada vez maiores. Porém, o que fazer para maximizar as chances de êxito na criação de um produto?

A pergunta parece complexa, mas os casos de sucesso do mercado nos mostram o melhor caminho: criar junto ao cliente, ou seja, obter feedback com a experiência do usuário. Isto é o que chamamos de Lean Startup, instrumento que ajuda qualquer empresa a lidar com mudanças constantes, concentrando suas hipóteses e testes na viabilidade do negócio ou produto.

Hoje, já não faz mais sentido “esconder” uma criação até ela esteja pronta para venda. Também não é muito eficaz investir meses, e até anos, em planejamento e pesquisas no escuro, sem a interação do usuário na prática. Esse modelo tradicional de mercado perde cada vez mais seu valor.

Grandes nomes da inovação, como Google e Facebook, fazem frequentemente atualizações em seus produtos — o “eterno beta”. Os constantes feedbacks dos usuários na experimentação de novas ferramentas e funcionalidades fazem alavancar o sucesso do novo produto ou, muitas vezes, identificar rapidamente o fracasso, sem um prejuízo maior de tempo e dinheiro.

Não é por acaso que as empresas que investem em software — principalmente, aquelas em que o software é o próprio negócio — são as que hoje se sobressaem e apresentam crescimento superior. Inovar com tecnologia é fazer com que a empresa chegue ao seu cliente final.

Ele deve ser usado para buscar nova receita e geração de valor, e não apenas para automatização dos seus processos e redução de custo, como acontece hoje com os investimentos em ERP, CRM e muitos outros.

Mark Andressen, um dos maiores investidores do Vale do Silício e fundador do Netscape, disse no artigo “Software is eating the world” (O software está devorando o mundo). E ele tem razão.

As empresas que se adaptarem mais rapidamente às mudanças são as que terão sucesso. A grande vantagem do Lean Startup é a possibilidade de as empresas inovarem de forma incremental, controlando o risco associado à inovação.

O Lean Startup pode abrir possibilidades que modelos tradicionais considerariam muito arriscados. E quando falamos de inovar com software, estamos falando do modelo ágil. A combinação de Lean Startup e a metodologia ágil podem trazer inúmeros benefícios para uma empresa.

É aproveitar a mudança para gerar vantagem competitiva ao cliente, é a entrega do software testado e funcionando em menos tempo, é trabalhar com executivos e desenvolvedores e fazer projetos em torno de indivíduos motivados e é, principalmente, escutar o consumidor e poder satisfazer suas necessidades reais.

Talvez você ainda não esteja sentindo a velocidade da transformação. Porém, uma coisa é certa, a gestão está mudando e criando novas estratégias e ferramentas para conquistar e permanecer no mercado. E o Lean Startup é a ferramenta que ajudará as empresas a inovar e encarar da melhor maneira as mudanças constantes.

Quais são os pilares da Lean Startup

Com o objetivo de dar mais agilidade à criação e manutenção de um modelo de negócios viável, o conceito de Lean Startup se baseia em 3 pilares. Veja abaixo.

Customer development

O foco de toda atividade do negócio sempre deve ser o cliente, sendo que as hipóteses a serem testadas — vamos ver isso mais adiante, em MVP — serão voltadas para os consumidores, clientes em potencial e formadores de opinião.

O objetivo é entender o que o consumidor realmente espera, quais suas expectativas em relação ao produto ou serviço, permitindo que a empresa crie uma proposta de valor real, alterando as características do produto ou serviço, estratégias de aquisição de clientes e outros pontos.

Desenvolvimento ágil

O desenvolvimento ágil é um conceito herdado da programação de sistemas e consiste em um ciclo de criação, testes e reimplementação, ou seja, a cada feedback colhido com os clientes, novas features são acrescentadas ao modelo de negócio.

Dessa forma, evitamos o desperdício de recursos e também de tempo, encontrando o MVP muito mais rápido e desenvolvendo a ideia do negócio de forma simples e direta.

Plataforma tecnológica

O uso de plataformas tecnológicas diversas é outro ponto que auxilia na criação rápida de um negócio e testes de sua viabilidade dentro do mercado em que se pretende entrar.

Existem várias ferramentas que permitem a criação rápida de um MVP, sendo que após seu lançamento, tudo pode mudar, principalmente com a utilização de novas tecnologias ou, até mesmo, com a migração completa para outras plataformas tecnológicas.

O que é MVP

Um dos principais erros de quem inicia um negócio é a falta de testes acerca da viabilidade do modelo de negócio escolhido ou da própria solução criada, sendo que grandes valores são investidos no lançamento e, muitas vezes, perdidos por conta disso.

O conceito de MVP é fundamental dentro do ambiente de Lean Startup para evitar situações como essa. Afinal, o Minimum Viable Product pode ser considerado a versão Beta de um produto ou serviço, com o mínimo possível de funcionalidades.

O objetivo é desenvolver uma solução de forma ágil e econômica para apresentar o produto ou serviço aos clientes e entender qual a sua reação, recebendo os feedbacks e trabalhando na construção de melhorias. É uma ferramenta incrível para validar premissas e obter informações do mercado.

Lembra quando falamos acerca dos pilares do Lean Startup e citamos a importância de colher feedbacks para melhorar o produto e evitar a perda de dinheiro? O MVP é a ferramenta que nos permite realizar tais testes.

Para criar o MVP de seu produto ou serviço é preciso ter em mente alguns pontos:

  • crie as hipóteses a serem validadas — o objetivo principal do MVP é validar as premissas acerca do produto ou serviço e sua aceitação pelos consumidores antes de investir grandes somas de dinheiro e tempo;
  • entenda o mercado — confirme como tudo funciona, veja os indicadores sobre seu público-alvo, perfil ideal de cliente a ser atingido pela solução e o contexto em que a empresa está inserida;
  • defina indicadores e métricas — para que o MVP tenha retorno é preciso analisar os feedbacks recebidos. Por conta disso, criar indicadores e métricas para entender a opinião dos clientes é fundamental;
  • pense nas funcionalidade — o MVP precisa ser fruto de um equilíbrio entre o mínimo esforço e um resultado aceitável, capaz de suprir a demanda dos clientes e resultar em uma proposta mínima de valor;
  • não desista — criar um MVP não é uma tarefa simples, mas que é resultado de uma série de interações junto ao mercado e aos consumidores até que as hipóteses levantadas sejam realmente validadas;
  • não tenha medo de errar — o MVP serve justamente para verificar o que está errado na concepção do empreendedor, para que possa ser alterado e melhorado ao longo do processo de lançamentos de novas versões do produto ou serviço. O objetivo principal é aprender.

Quais as vantagens da Lean Startup

Existem várias vantagens na aplicação de um modelo de Lean Startup com relação ao uso de um planejamento tradicional empresarial e vamos mostrar algumas delas para você.

Crescimento sustentável

Um dos grandes benefícios do uso do conceito de Lean Startup é o crescimento sustentável do negócio, uma vez que novas versões do produto ou serviço são lançadas conforme os feedbacks recebidos dos clientes.

Não é adequado fazer grandes investimentos em novas funcionalidades que não foram previamente testadas por meio do MVP, evitando que os projetos de expansão do negócio tragam prejuízos para a empresa.

Custo operacional baixo

Outro ponto muito interessante é o custo operacional baixo para a abertura de um novo negócio ou incremento de novas features, já que existe a eliminação de várias etapas de planejamento não fazem sentido.

O objetivo do Lean Startup é chegar o mais próximo possível do desperdício zero e menor custo de implementação de soluções, aumentando ao máximo a margem de lucro e retorno sobre investimento.

Crescimento recorrente

Como trabalha com o eterno “Beta”, aquele produto ou serviço que nunca está finalizado e sempre pode ser incrementado, o crescimento da empresa se torna recorrente, pois, com a adição de novas features, novos mercados e clientes podem ser alcançados.

Produtividade máxima

O aumento de produtividade da equipe de colaboradores também é outra vantagem da aplicação do modelo de Lean Startup, uma vez que etapas de projeto, como reuniões a todo momento e planejamentos massantes, serão todos descartados do desenvolvimento da solução, poupando tempo e recursos.

O modelo de Lean Startup é próximo passo para a criação ágil de novos negócios e melhoria de soluções, minimizando os custos financeiros desse processo e também garantindo maiores hipóteses de êxito. Esperamos que isso tenha ficado claro ao longo deste texto.

Quer ficar por dentro de nossas publicações? Nos acompanhe agora mesmo no Facebook, LinkedIn, Instagram e YouTube!

Dextra

View posts by Dextra
Somos especialistas em desenvolvimento de software sob medida para negócios digitais. Pioneiros na adoção de metodologias de gestão ágil, combinamos processos de design, UX, novas tecnologias e visão de negócio, desenvolvendo soluções que criam oportunidades para nossos clientes. A Dextra faz parte da Mutant, empresa B2B líder no mercado brasileiro e especialista em Customer Experience para plataformas digitais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 5 =

Posts relacionados

  1. Sobre a Dextra

    Somos especialistas em desenvolvimento de software sob medida para negócios digitais. Pioneiros na adoção de metodologias de gestão ágil, combinamos processos de design, UX, novas tecnologias e visão de negócio, desenvolvendo soluções que criam oportunidades para nossos clientes.

  2. Categorias

Scroll to top